top of page
Buscar

Comparando Python e Ruby para Desenvolvimento Backend

Quando se trata de desenvolvimento backend para APIs, Python e Ruby são duas das linguagens de programação mais populares. Ambas possuem seus pontos fortes e atendem a diferentes preferências e necessidades de projeto.


Este artigo compara Python e Ruby em termos de sintaxe, frameworks, desempenho, suporte da comunidade e facilidade de aprendizado para ajudá-lo a decidir qual linguagem pode ser mais adequada para o desenvolvimento de APIs backend. 


Sintaxe e Legibilidade 


Python: Conhecida por sua sintaxe limpa e legível, Python enfatiza a legibilidade e a simplicidade, tornando-a uma excelente escolha tanto para iniciantes quanto para desenvolvedores experientes. Seu uso de indentação para definir blocos de código incentiva um estilo de codificação uniforme, reduzindo a probabilidade de erros de sintaxe.

 

Ruby: É projetada para ser intuitiva e natural, muitas vezes descrita como uma linguagem que se assemelha ao idioma humano. Sua sintaxe é flexível e expressiva, permitindo que os desenvolvedores escrevam códigos concisos e elegantes.

A filosofia de Ruby enfatiza a felicidade e a produtividade do desenvolvedor.


Frameworks 


Python: O framework mais notável para Python no desenvolvimento de APIs é o Django. Um framework de alto nível que incentiva o desenvolvimento rápido e um design limpo e pragmático.

Ele vem com muitos recursos integrados, o que significa menos tempo gasto na configuração e mais no desenvolvimento da aplicação. Outro framework popular do Python, é o Flask, sendo leve e mais flexível, é uma boa escolha para projetos menores ou que exigem mais personalização. 


Ruby: Ruby on Rails (frequentemente chamado apenas de "Rails") é o framework predominante para Ruby.

Rails é conhecido por seu princípio de convenção sobre configuração (CoC), o que significa que ele toma muitas decisões pelo desenvolvedor, reduzindo a quantidade de configuração necessária. Rails também segue o princípio DRY (Don't Repeat Yourself), promovendo a reutilização de código e reduzindo a redundância. Ele inclui tudo o que é necessário para criar uma aplicação web baseada em banco de dados de acordo com o padrão Model-View-Controller (MVC). 


Desempenho

 

Python: Não é a linguagem mais rápida devido à sua natureza interpretada, mas seu desempenho é geralmente suficiente para a maioria das aplicações web. O Python 3 fez melhorias significativas na velocidade em relação às suas versões anteriores. Além disso, muitos gargalos de desempenho podem ser mitigados com o uso de frameworks assíncronos como FastAPI, que pode lidar com tarefas simultâneas de forma eficiente.


Ruby: Particularmente com Rails, enfrentou críticas por seu desempenho, especialmente em aplicações maiores. No entanto, melhorias em versões mais recentes e otimizações de desempenho fizeram grandes avanços.

Técnicas como processamento de tarefas em segundo plano com ferramentas como Sidekiq ajudam a mitigar este problema ao descarregar tarefas do fluxo principal da aplicação.


Comunidade e Suporte 


Python: Possuí uma comunidade grande e ativa, o que se traduz em uma vasta quantidade de recursos, bibliotecas e frameworks.

O suporte da comunidade para Phyton é robusto, com documentação extensa e uma variedade de tutoriais disponíveis para desenvolvedores de todos os níveis de habilidade.


Ruby: Também possuí uma comunidade apaixonada e de suporte, especialmente em torno do Rails. Embora sua comunidade seja menor em comparação ao Phyton, ela é conhecida por ser particularmente acolhedora e prestativa. A comunidade Rails, em particular, oferece recursos substanciais, incluindo guias, screencasts e fóruns.


Facilidade de Aprendizado 


Python: É frequentemente recomendada como a primeira linguagem para novos programadores devido à sua sintaxe direta e legibilidade. A simplicidade da sintaxe do Phyton permite que os iniciantes se concentrem em aprender conceitos de programação sem se sobrecarregar com regras complexas.


Ruby: Sua sintaxe é projetada para ser de fácil leitura e escrita, tornando-a uma boa escolha para iniciantes que apreciam sua elegância e simplicidade. No entanto, a flexibilidade do Ruby pode, às vezes, causar confusão para os novatos, que podem achar as múltiplas formas de realizar a mesma tarefa um pouco complexa.


Conclusão 


Tanto Python quanto Ruby são excelentes escolhas para o desenvolvimento de APIs backend, cada um com seu próprio conjunto de vantagens.


Python é favorecida por sua legibilidade, amplo suporte da comunidade e frameworks poderosos como Django e Flask.

Ruby, com sua sintaxe elegante e o framework Rails, oferece um ambiente altamente produtivo que enfatiza convenção e simplicidade. 


A escolha entre um e outro, muitas vezes se resume à preferência pessoal e aos requisitos específicos do projeto.

Se você prefere uma linguagem com uma sintaxe direta e uma ampla gama de aplicações, Python pode ser a melhor escolha.

Agora se valoriza um código elegante e um framework que toma muitas decisões por você, Ruby on Rails pode ser o caminho a seguir. Ambas as linguagens já provaram seu valor no mundo do desenvolvimento backend e continuam a impulsionar muitas aplicações web de sucesso.


Autor: Marco Antonio G. Rossi - Diretor GPr Sistemas

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page